Dependência Química




➡️O que é?

Para a OMS a dependência química é vista como uma doença médica crônica e progressiva (que piora com o passar do tempo), primária (gerando outras doenças fatais) e também como um problema social. É um estado mental e físico provocado pelo uso da droga, gerando compulsão pela substância e por experimentar seu efeito psíquico e, também para evitar o desconforto provocado por sua ausência.


➡️Quais o sinais e sintomas?

Compulsão pelo uso da droga; falta de controle sobre a quantidade do uso; abandono de outras atividade e manutenção do uso, mesmo tendo prejuízos evidentes causados pela droga, sintomas de abstinência, necessidade de doses crescentes para atingir o mesmo efeito, prejuízo em suas relações sociais e profissionais.


➡️Quais as substâncias mais comuns causadoras de dependência?

Álcool, tabaco, cocaína e derivados como o crack e a pasta-base, maconha, alucinógenos, solventes e inalantes, a exemplo da cola de sapateiro e acetona, estimulantes como anfetaminas e cafeína, opióides, sedativos e hipnóticos (medicações como o diazepam).


➡️Como é o tratamento?

Não existe cura para a dependência química, mas é possível controlar.

O tratamento é multidisciplinar, envolvendo médico psiquiatra, psicólogo e outros profissionais dependendo de cada caso e os grupos de mútua ajuda como o Alcoólicos Anônimos e o Narcóticos Anônimos também contribuem com o processo.


⚠️Atenção⚠️

As alterações cerebrais causadas pela droga são na maioria das vezes irreversíveis. O cérebro guarda um "registro" dos efeitos do uso da droga por toda a vida, o que faz com que dependentes químicos que não fazem uso da droga há anos e decidem utiliza-la uma única vez voltar ao mesmo padrão de consumo excessivo da substância novamente.